Tendências e características da indústria 4.0 no Brasil

O futuro chegou. Os gestores estão priorizando tecnologias, parcerias, talentos de alta performance e bem-estar dos funcionários para melhorar a produtividade, qualidade e potencializar os seus negócios. O uso de tecnologias como Internet da Coisas, Inteligência Artificial, Computação em Nuvem, entre outras, proporcionarão nos próximos 2-3 anos os resultados de eficiência, flexibilidade e agilidade para garantir a competitividade da organização. 

 A Infraestrutura de Tecnologia, Cibersegurança, Ruptura da Cadeia de Suprimentos e Regulamentações estão entre os fatores de maiores desafios na implantação da Indústria 4.0. Ao mesmo tempo deve se priorizar urgentemente a capacitação para as habilidades e competências digitais, técnicas e comportamentais dos funcionários e lideranças para a transformação digital no chão de fábrica. Exige um novo estilo de liderança que envolve, inspira e motiva os colaboradores a inovar, aceitar e fazer as mudanças com responsabilidade e autonomia no local de trabalho.

Salientar que não basta aplicar tecnologias sem que as mesmas garantam os princípios, ou seja, as características desse novo modelo. São eles:

- Interoperabilidade e integração dos sistemas verticais e horizontais de todas as atividades desempenhadas pela empresa.

- Informação em Tempo Real de todas as etapas do processo da cadeia de valor.

- Virtualização e simulação para antecipar o planejamento e previsão de resultados.

- Descentralização e autonomia de sistemas digitais e máquinas, a “pensar por conta própria”.

- Orientação a Serviços, uso da arquitetura de softwares para a interconexão das informações, pessoas e equipamentos.

- Modularidade, poder-se-á realizar uma manufatura ajustável, flexível, ágil e capaz de se adaptar com facilidade as mudanças. 

 Entender que um dos requisitos básicos da aplicação prática da Indústria 4.0 é o de romper definitivamente com as formas hierárquicas. As tecnologias serão utilizadas com a nova mentalidade de fazer acontecer, seguindo um formato de Comunicação Direta entre Dispositivos (Device-to-device communication). Esta configuração permitirá acelerar a automação com capacidade de capturar e processar dados de forma muito mais rápida e dinâmica.

Cabe a recomendação: “crie o seu próprio modelo, seja ousado e criativo, implante um projeto de uma solução desenhada especificamente para sua organização e, por favor, não copie!”.

 

Getulio Teixeira (Engenheiro de Produção Mecânica e especialista em Lean Manufacturing. Autor do livro Liderança e Gestão da Produção na Indústria 4.0. Consultor, Palestrante e Instrutor da AGQ)

Confira também:

8 Dicas para Aproveitar ao Máximo o Feriado em Família

A Armadilha da Análise da Causa (Antonio Kossmann Miozzo - Consultor da AGQ)

A Rotina do “Círculo Vicioso” e o ponto de corte para o “Círculo Virtuoso” (Antonio Kossmann Miozzo - Consultor da AGQ)