ARTIGO Gestão para a Qualidade Total - Ato de Sobrevivência (Consultor Clovis Fernandes Oyarzabal)

O Rio Grande do Sul tem o maior movimento para a qualidade do Brasil, mas qual será o percentual de empresas que entende, profundamente, os novos conceitos de qualidade que estão sendo disseminados?

 

Temos certeza de que a maior parte das empresas, quando falam em qualidade, refere-se exclusivamente aos atributos físicos dos produtos. Fazer bons produtos é um conceito secular da indústria.

 

Obviamente que tal dimensão é importante, porém, nos tempos atuais, não é mais suficiente para a competitividade e longevidade dos negócios.

Essa visão restrita ao produto induz, principalmente aos setores de comércio e serviços, a um baixo envolvimento com o sistema amplo que vem sendo implantado nos últimos anos.

 

Tal abrangência é fruto da evolução nas relações empresariais, pela globalização da economia e da informação, associados ao aumento das opções de compra pelos consumidores.

 

Há necessidade urgente, de grande parte destes setores perceberem a amplitude da GQT e os resultados positivos que poderão ser obtidos. A GQT, além da qualidade do produto, abrange a qualidade dos custos, dos serviços, processos, da segurança e do moral dos colaboradores.

 

Devemos sempre lembrar a dificuldade humana na análise entre o que é causa e o que é efeito. A proposta é de que a GQT passe a ser a grande causa da empresa, ou seja, a razão da sua existência. Esta é uma causa capaz de motivar a todas as pessoas envolvidas. O lucro, a satisfação do cliente, o comprometimento dos colaboradores e o orgulho da comunidade passam a serem efeitos de uma gestão saudável e duradoura.

 

Interpretando a GQT

 

Gestão significa a aplicação racional com uso de técnicas de planejamento, organização, controle, metas compartilhadas por todos os níveis hierárquicos, solução de problemas, redução das anomalias, analise critica e padronização dos processos. Tudo com os devidos indicadores de desempenho para medir os avanços e tomar decisões com base em dados e fatos.

 

Qualidade significa a satisfação das necessidades e expectativas de todas as partes interessadas no negócio (Clientes, Acionistas, Colaboradores e Comunidade), com equilíbrio e equidade. A busca permanente da perfeição em tudo o que se faz. Todos os setores buscando, permanentemente, melhores práticas e melhores resultados. Praticar o Gerenciamento Interfuncional com todos os setores alinhados a uma única visão reconhecendo, inclusive, seus clientes internos com suas necessidades específicas.

 

Total significa o envolvimento emocional o comprometimento a competência de cada pessoa, esta sempre buscando seu aprimoramento. A empresa estimulando e absorvendo todas as iniciativas oriundas de seu capital intelectual. Os gestores tendo perfil e estando capacitados para influenciar comportamentos da equipe sempre estimulando o pensamento criativo e o relato das anomalias. Lembrando que a comunicação interna deve fluir livremente tanto no sentido vertical quanto horizontal.

 

Que todos os relacionamentos ocorram com ética em todos os níveis, livres do medo, de preconceitos e privilégios.

 

DESAFIOS

 

  • Vencer o medo natural do ser humano para enfrentar mudanças de conceitos, hábitos e pressupostos do sistema tradicional.
  • Abandonar, gradativamente, as práticas que não mais agregam valor aos resultados esperados.
  • Estimular o autocontrole e a capacidade de inovação da equipe e indivíduos.
  • Redefinir práticas gerenciais de comando, controle e punição para treinamento, orientação e motivação.
  • Adoção consciente e assumida da alta direção com plena convicção sobre os novos propósitos.
  • Derrubar a soberba de que nada esta mudando e que as coisas ainda estão dando certo.
  • Treinar, desenvolver e qualificar todas as pessoas da empresa priorizando os cargos mais influentes.
  • Quebrar paradigmas seculares no que tange as relações do homem com o trabalho.
  • Descobrir as melhores práticas do mercado e os melhores profissionais para contribuir na implantação do sistema.
  • Definir estrutura para coordenação e apoio.
  • Tratar com firmeza a orientação aos céticos e pessimistas.
  • Difundir a humildade para entendimento das deficiências e aprendizagem constante.
  • Antecipar o futuro para que não venham por pressão de acionistas, clientes e colaboradores.

 

ATENÇÃO

 

Quando a caminhada é longa há que se sair cedo.

GQT se implanta sem atropelos “é preferível evolução a revolução”.

È comum ter gente influente, dentro da própria casa puxando contra, por comodismo, pela manutenção do poder ou por medo.

 

LIDERANÇA É FUNDAMENTAL

 

Clovis Fernandes Oyarzabal 

Estamos a disposição para realizar seminário de 6 á 8 horas sobre o tema abordado no artigo acima.

Confira também:

8 Dicas para Aproveitar ao Máximo o Feriado em Família

A Armadilha da Análise da Causa (Antonio Kossmann Miozzo - Consultor da AGQ)

A Rotina do “Círculo Vicioso” e o ponto de corte para o “Círculo Virtuoso” (Antonio Kossmann Miozzo - Consultor da AGQ)